CCs de Pupin tentam barrar participação do Samu na Conferência de Saúde

A abertura dos trabalhos da 10ª Conferência Municipal de Saúde, na sexta-feira (21), teve uma cena lamentável e condenável. Para surpresa da vice-presidente do SISMMAR, Solange Marega, e de vários outros trabalhadores, servidores(as) do Samu foram proibidos de adentrar no local de evento por comissionados do alto escalão de Pupin (PP). Eles portavam faixas para expressar a grande insatisfação da categoria com a falta de condições de trabalho e salários dignos.

Leia mais sobre a Conferência de Saúde
Veja o momento em que Samu foi barrado

Solange, que esteve em todas as conferências municipais e também já participou de etapas estaduais e nacionais, diz jamais ter visto tamanha intolerância numa edição da conferência. A atitude desses comissionados do primeiro e segundo escalão da Prefeitura não mostra só falta de preparo, mas também uma agressão à democracia.

Os comissionados tentaram alegar que o lugar era privado. Oras, mas se o evento é público, todo cidadão têm direito de participar e também de fazer seu manifesto pacífico. Alguns políticos, como esses citados CCs, parecem não estar ouvindo o recado dado nas ruas.

Orientados pela dirigente do SISMMAR, os servidores do Samu não arredaram o pé do local e fizeram enfrentamento pacífico, na luta pelos seus direitos como cidadãos. Eles só conseguiram adentrar ao local do evento após intervenção do vereador Carlos Mariucci (PT), que estava presente na conferência.

O SISMMAR reforça que a atual diretoria do sindicato prima pelo diálogo e que, jamais, promoveu ou participou de manifestos abusivos. E mais, conferências de saúde costumam sem marcadas por protestos. A administração municipal deveria selecionar CCs mais equilibrados para acompanhar eventos de grande importância como esse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*