Pupin nega valorização salarial e greve continua

Ao contrário do que tem divulgado um colunista do jornal O Diário, a greve do Samu segue de forma legal, respeitando (e pautada na) a lei. Fazer greve é direito previsto na Constituição.

Havia a expectativa pelo fim da greve. Contudo, na manhã desta quarta-feira (10), na primeira vez e que recebeu a comissão de negociação, o prefeito Roberto Pupin (PP) manteve o discurso de sua equipe de governo, negando qualquer aumento salarial. Diz o prefeito que se conceder reajuste a uma categoria terá de conceder a todas.

Leia mais sobre a greve do Samu.

Terceiro dia da greve do Samu teve passeata do
Paço Municipal até a Praça Raposo Tavares

 A negativa de Pupin inflamou a categoria, que segue com manifestos na frente do Paço Municipal e em alguns cruzamentos, no Centro da cidade. Uma pequena passeata foi realizada logo após a notícia de que o prefeito não concederia a gratificação.

O SISMMAR questionou por que o prefeito não apresentou qualquer contraproposta para ser levada à categoria? Pupin considerou uma avaliação nesse sentido e nova reunião foi agendada para as 11 horas, também no Paço Municipal. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*