Pupin assume compromisso por escrito e paralisação do Samu é suspensa

Categoria conquista avanços, encerra paralisação,
mas mantém estado de greve

Em nova rodada de negociações nesta quarta-feira (10), por volta das 11 horas, o prefeito Roberto Pupin (PP) apresentou proposta ao servidores do Samu. Em assembleia, realizada no início da tarde, a categoria aceitou a proposta, com ressalvas, suspendendo a paralisação.

Em ofício entregue à comissão de negociação, formada por dirigentes do SISMMAR e socorristas, Pupin aceita a redução da jornada de trabalho – de 40 para 36 horas semanais (6 horas por dia) – dos teleatendentes e controladores de frota do Samu. Em busca desse benefício, o SISMMAR já havia ingressado na Justiça contra a Prefeitura.

Também formalmente, Pupin prometeu que o Samu será uma das três prioridades na revisão do Plano de Carreira, Cargos e Remuneração (PCCR), que tem implementação prevista para novembro. As outras prioridades, elencadas pela comissão do PCCR (da qual o SISMMAR faz parte) e acatadas pela administração municipal, são:

– Incorporar ao salário base o abono de R$ 200, que já é pago a todos os servidores do município;
– Incluir as auxiliares de creche no PCCR específico do Magistério.

O compromisso de Pupin também inclui realização de melhorias nas condições de trabalho, como a compra de mais ambulâncias e local adequado para limpeza das viaturas, dentro do prazo acordado com o sindicato. Apesar do fim da paralisação, o estado de greve será mantido, o que significa que a greve pode ser deflagrada, novamente, caso o prefeito não cumpra com sua palavra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*