Na Justiça, SISMMAR vem provando que servidores trabalham em disfunção

A administração municipal reluta em reconhecer que servidores estão trabalhando em disfunção, o que é ilegal. Apesar disso, o SISMMAR tem conseguido, na Justiça, provar que essa prática acontece. Muitos trabalhadores são colocados para desempenhar funções não previstas no edital do concurso no qual foram aprovados.

Num desses casos, o Tribunal de Justiça do Paraná rejeitou recurso da Prefeitura, mantendo sentença em primeira instância. No processo, o SISMMAR questionou o desvio de função do servidor Geraldo Rodrigues dos Santos. Agora, ele terá direito a indenização pela diferença da remuneração entre o cargo ocupado e as funções exercidas.

Em casos como esse, em que a administração insiste no erro, as ações que a Prefeitura perde na Justiça são bancadas pelo dinheiro do contribuinte. Um gasto que poderia ser evitado com um pouco mais de sensibilidade da administração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*