Paridade; igualdade de direitos na UEM

Um blog de grande repercussão em Maringá e região informou hoje que o reitor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Júlio Santiago Prates Filho, assinou a resolução 179/2013, aprovada pelo Conselho de Administração (CAD), que implanta a nova sistemática de controle e frequência e permanência dos servidores (as) técnico-universitários.
Em determinado trecho da resolução, divulgada no último dia 24,diz: “adotando-se o sistema de controle por computador ou biométrico, consideradas as peculiaridades de cada setor”. Além disso, pelo documento fica aprovada a criação de uma comissão para normatização e implantação do sistema de controle de frequência, com prazo de 180 dias para a conclusão dos trabalhos e implantação do referido sistema.

O que mais chama a atenção é que a adoção do sistema é válida apenas para os servidores técnicos, ou seja, os docentes da universidade não estarão enquadrados no sistema. Uma Universidade que realiza este tipo de tratamento separatista pode formar cidadãos para o pleno exercício da cidadania? Onde está a igualdade de direitos? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*