É assim que o governo Pupin trata o Samu

O SISMMAR tem informado, aqui no blog, que o prefeito Roberto Pupin (PP) tem promovido uma “greve institucional” no Samu, ao não oferecer condições mínimas de trabalho. Em dias comuns, os recursos para atendimentos são inferiores do que o mínimo mantido durante a greve da categoria.

Veja no blog como foi a greve da categoria
Leia mais sobre o Samu no jornal do SISMMAR
Blog do Rigon também denunciou falta de servidores

No domingo (4), o Samu de Maringá estava sem atendimento por falta de funcionários. Equipes estavam paradas porque não havia controlador de frota. Um absurdo!

Uma das reivindicações durante a greve era, justamente, a contratação de pessoal. Hoje, só existem três controladores de frota contratados para um serviço que funciona 24 horas. Era óbvio que a falta servidores, uma hora ou outra, resultaria na interrupção do serviço. É justo que a vida do maringaense seja colocada em risco por problemas de gestão deste governo?

Denúncia checada!
Diante da informação da falta de atendimento, no domingo, dirigentes do SISMMAR estiveram no Samu para verificar, in loco, a veracidade da denúncia. Por meio deste blog, o sindicato seguirá informando problemas como esse, para mostrar à população o que passa o Samu de Maringá.

O SISMMAR pergunta: quem é que para o SAMU? Quem é que não oferece condições mínimas de trabalho para que os servidores possam salvar vidas? Pupin, o Samu não é importante?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*