Em encerramento da Jornada, categoria mostra força e pressiona Prefeitura por valorização

Durante a quarta e última etapa da Jornada Pedagógica 2022, categoria realizou forte manifestação pela implementação imediata do Piso do Magistério e aprovação dos PCCR’s revisados; A partir de fala realizada pela presidente do SISMMAR, Priscila Guedes, aproximadamente 2 mil servidoras e servidores cobraram firmemente pela valorização e deram o recado de forma clara para a administração de Ulisses Maia e Edson Scabora; veja o VÍDEO do protesto

Presidente do SISMMAR, Priscila Guedes, reforçou os protestos pela valorização da categoria frente ao prefeito em exercício, Edson Scabora – Foto: Phill Natal

Durante a palestra de encerramento da Jornada Pedagógica 2022, promovida pela Seduc, aproximadamente 2 mil servidoras e servidores mostraram a força da categoria e pressionaram o prefeito em exercício, Edson Scabora (MDB), pela aprovação do Piso do Magistério. Assim como no período da manhã, a direção sindical junto de diversas trabalhadoras e trabalhadores levantaram cartazes cobrando a implementação da Lei Federal e apoiaram a presidente do SISMMAR, Priscila Guedes, que mais uma vez cobrou para que o chefe do Executivo cumpra com a legislação imediatamente.

Durante a fala, a presidente da entidade de classe mencionou sobre a necessidade de valorização da categoria da Educação com a lei do Piso e também sobre a aprovação dos Planos de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) geral e do magistério. Uma das abordagens mais celebradas da tarde se deu pelas cobranças específicas em prol das Cuidadoras, que também deverão ser contempladas com melhorias específicas dentro da revisão do PCCR geral, desde que a Prefeitura aprove a revisão feita na comissão.

De maneira mais específica sobre o Piso, Priscila chamou a atenção dos presentes sobre o fato da categoria dos Educadores 30h estar com remunerações abaixo do piso nacional desde a criação. A partir de janeiro, a situação para este cargo ficou ainda mais precária, pois em Maringá o salário inicial para Educadores 30h era de R$ 1.787,40, enquanto o Piso do Magistério é de R$ 2.884,22, em uma impressionante e inaceitável defasagem de 61,36%.

Diante deste cenário extremamente prejudicial para as servidoras e servidores e pelo longo atraso por parte da Prefeitura na implementação das medidas, a exposição dos problemas por parte da presidente do SISMMAR levantou a categoria que se manifestou fortemente para que gestão de Ulisses Maia (PSD) e Scabora implemente imediatamente a lei federal. Frente à cobrança com aplausos, gritos e cartazes exigindo o Piso do Magistério, as servidoras e os servidores presentes deram um recado claro para a administração municipal.

A partir destas importantes manifestações, a gestão Sindicato é pra Lutar reforça a convocação para a Assembleia da Educação a ser realizada no dia 9 de agosto (terça-feira), com primeira chamada às 18h30, na Câmara Municipal de Maringá para discutir sobre o Piso Nacional do Magistério. Até este encontro, a direção sindical exige do prefeito Ulisses Maia uma proposta oficial sobre o pagamento e o cumprimento da lei. A gestão Sindicato é pra Lutar reitera o compromisso de atuação junto aos servidores públicos municipais de Maringá na construção de uma categoria mais forte.

Veja o vídeo com a fala da presidente do SISMMAR e da cobrança realizada pela categoria: