Perícia confirma: servidora ficou com sequelas

Norma: drama após demora
no atendimento so Sama

Conforme a diretoria do SISMMAR previa, a servidora municipal Norma Dias Medeiros ficou com sequelas decorrente de lesão no ombro e da falta de assistência do Sama. Por várias vezes, o SISMMAR alertou as secretaria municipais de Saúde e de Administração sobre o problema e nada foi feito em favor da trabalhadora.

Norma fraturou a região próxima ao úmero (ombro) direito em 8 de fevereiro de 2011 e, desde então, aguarda procedimento cirúrgico. A pedido da Justiça, perícia médica feita em 13 de julho constatou que Norma ficou com sequelas devido à demora no atendimento. Confira alguns trechos do laudo:

– como fragmento fraturado (tuberosidade maior) estava afastado a mais de 1 cm do seu local original, tinha indicação cirúrgica para sua correção;
– a fratura é de gravidade média e não complexa;
– o material adequado para esse tipo de fratura é a placa bloqueada e parafusos de bloqueio para evitar a soltura dos componentes;
– o SUS realiza esse tipo de cirurgia, porém, fornece um material totalmente ultrapassado, que coloca em risco o prognóstico da cirurgia;
– a obrigação do material adequado é do Sama, pois a autora [Norma] é servidora municipal;
– o ideal é que estas fraturas sejam operadas o mais cedo possível, pelo menos, nos primeiros 7 a 10 dias;
– passados mais de 5 meses, esta cirurgia inicialmente proposta, deixa de ser necessária, pois a fratura está totalmente consolidada;
– o fragmento fraturado consolidou fora do seu leito original (ficou mais alto);
– hoje, a autora [Norma] tem restrição dolorosa na abertura e elevação do braço direito a partir de 90°;

Fica a pergunta: e agora, que Norma ficou com sequelas, ela vai perder o emprego? Quem será responsabilizado? O SISMMAR cobra uma indenização satisfatória para que Norma possa sobreviver, apesar das limitações nos movimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*