Operário tem a perna amputada e JBS Friboi se nega a pagar indenização

.

Inexperiente, com muito poucos meses na Friboi, Saturnino Vogado foi colocado para limpar e lubrificar os trilhos próximos das nóreas, as correias que transportam o gado pendurado para ser fatiado na linha de produção do frigorífico. “Escorreguei nas ferragens com graxa e a perna ficou travada numa chapinha, não tinha escapatória”, lembra.

Estava no final do expediente, eram por volta de 15 horas e 45 minutos. Ele havia começado a trabalhar às 6 horas da manhã. A máquina não devia estar ligada; mas estava e começou a puxar o trabalhador.

“Levou a minha perna e o meu corpo para o meio das ferragens. Eu gritei para o meu amigo Jeferson, mas ele estava mais nervoso que eu, ficou paralisado. Os supervisores não estavam acompanhando o nosso trabalho. Nós não sabíamos como fazer aquilo parar. Fraturou meu fêmur, esmagou o joelho, quase me partiu ao meio…”

Para não ter de pagar a indenização pela irresponsável exposição do funcionário e fugir das suas obrigações com sua incapacitação permanente, a empresa fez de tudo e mais um pouco, denuncia Saturnino. “Inventaram que eu tinha feito curso, presenciado palestras, que estava plenamente qualificado para operar a máquina. Disseram até que eu era mecânico, embora não passasse de auxiliar de frigorífico”.

Ainda muito novo, desconhecedor do Sindicato e dos seus direitos, Saturnino acabou sendo ludibriado pela JBS Friboi. Inicialmente “ajudado” no transporte durante dois anos, nos “leva e traz ao hospital”, baixou a guarda e acabou sendo completamente driblado e goleado na ação judicial que o condenou como culpado.

Tudo o que aconteceu passou a ser de sua única responsabilidade. Foi assim que ficou sem um centavo para fazer frente à adversidade da vida de trabalhador pobre e mutilado, morador da periferia.

Leia a história completa no site da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Vale a pena ler, porque a passagem mostra a importância do amparo dos sindicatos para que os trabalhadores não sejam ludibriados pelos patrões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*