SISMMAR promove curso sobre assédio moral no Estar

Em conversa realizada com os servidores do Estar nos dois turnos, iniciativa visa conscientizar o que é o assédio moral, identificar e como proceder nestes casos; Curso foi feito após convite dos RLTs

RLTs eleitos para o Estar, Carlos Alexandre Franco (esq.) e Thiago Itiro (dir.) acompanham Curso de Formação com direção do SISMMAR – Foto: Phill Natal

A direção do SISMMAR realizou nesta quarta-feira (9) um Curso de Formação junto aos servidores do Estacionamento Rotativo Estar, na própria sede do órgão. O objetivo desta ação preventiva, realizada pela primeira vez, foi conversar e conscientizar os trabalhadores sobre o que é e como identificar situações de assédio moral, além de oferecer as possibilidades de resolução. Um material foi apresentado em dois horários distintos e fica à disposição de todos para que perseguições e inconveniências não sejam mais toleradas e reproduzidas. 

Por volta das 8h, antes do turno da manhã, e ao meio-dia, antes do turno da tarde, dezenas de servidores do Estar estiveram presentes para as explicações sobre este tipo de situação, prejudicial para o ambiente de trabalho e, sobretudo, as vítimas. A iniciativa foi acatada pela direção sindical após contato direto feito pelos Representantes eleitos de Local de Trabalho (RLTs), que relataram a importância deste debate.

Secretária de Formação Sindical e Estudos Socioeconômicos do SISMMAR, Amanda Silva Rodrigues, apresenta informações sobre assédio moral – Foto: Phill Natal

Assédio Moral

De início, o trabalho do SISMMAR se deu pela explicação sobre o que é este crime. O assédio moral se caracteriza pelos atos de humilhar, expor, perseguir ou colocar uma mesma pessoa em situação humilhante, especialmente de maneira repetitiva e prolongada no exercício das respectivas funções. Por via de regra, a situação ocorre de maneira vertical, ou seja, de um superior contra uma pessoa abaixo na hierarquia. Ainda assim, também é assédio em relações horizontais, isto é, entre os próprios trabalhadores.

O assédio moral também ocorre de maneira sutil e escondida dos demais trabalhadores como forma de esconder as agressões. Por conta desta dificuldade em se identificar quando um comportamento específico se transforma em assédio, ações como a desta quarta-feira são fundamentais a fim de conscientizar o maior número de servidores e capacitá-los para o apoio mútuo nos locais de trabalho

Material desenvolvido pelo SISMMAR, com apoio do Instituto Latino-Americano de Estudos Socioeconômicos (ILAESE), foi entregue para todos os servidores – Foto: Phill Natal

Efeitos 

Além de todo o constrangimento e mal-estar causados pelos atos, o assédio geralmente culmina em um ambiente de trabalho desagradável. Após esta etapa, também provoca uma série de danos psicológicos nas vítimas, como menor interesse nas atividades profissionais, infelicidade, depressão, alterações de sono e humor e pode levar até a morte. 

Desta forma, a direção do SISMMAR reforça a atenção especial que se deve tomar a respeito do tema, muitas vezes minimizado, e disponibiliza diversos canais de comunicação para o recebimento de denúncias a fim de coibir estes atos. Através do WhatsApp pelo (44) 3269-1782 ou do Aplicativo SISMMAR, disponível na Play Store e APP Store, relatos podem ser feitos de maneira totalmente anônima e segura pelo denunciante

Com informação e conscientização sobre o assédio moral, iniciativa auxilia no fortalecimento da categoria e na organização dos trabalhadores – Foto: Phill Natal

Organização

Juntamente das plataformas de comunicação para aproximar servidores e o sindicato, outra ferramenta importante de fortalecimento da categoria são os Representantes de Local de Trabalho, democraticamente eleitos. Para este curso, os próprios RLTs, Thiago Itiro do Amaral (titular) e Carlos Alexandre Franco (suplente) convidaram o sindicato para realizar uma conversa mais próxima. 

De acordo com o RLT do Estar, Thiago Itiro, a discussão do sindicato sobre este tema é importante para que “todos tenham ciência de como agir diante do assédio moral”. Desta forma, compreende-se a necessidade da organização dos trabalhadores de maneira solidária e respeitosa, contra abusos e assédios dos superiores e contra importunações entre os próprios companheiros de trabalho, como um modo de fortalecer ainda mais a categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*