O conto das velas

O ambiente estava tão silencioso que era possível ouvir o diálogo que travavam:

A primeira vela disse:
– Eu sou a PAZ! Apesar de minha luz, as pessoas não conseguem manter-me, acho que vou apagar.
E diminuindo devagarzinho, apagou totalmente.
A segunda vela disse:
– Eu me chamo FÉ! Infelizmente sou muito supérflua. As pessoas não querem saber de mim. Não faz sentido continuar queimando.
Ao terminar sua fala, um vento levemente bateu sobre ela, e esta se apagou. Baixinho e triste, a terceira vela se manifestou:
– Eu sou o AMOR! Não tenho mais forças para queimar. As pessoas me deixam de lado, só conseguem enxergar a si mesmas e esquecem até aqueles a sua volta, que lhes amam.
E sem esperar apagou-se.
De repente entrou uma criança e viu as três velas apagadas.
– O que é isto? Vocês deviam queimar e ficar acesas até o fim.
Dizendo isso começou a chorar.
Então a quarta vela falou:
– Não tenha medo, criança. Enquanto eu queimar, podemos acender as outras velas. Eu sou a ESPERANÇA.
A criança com os olhos brilhantes, pegou a vela que restava e acendeu todas as outras…
ESPERO QUE A VELA DA ESPERANÇA NUNCA SE APAGUE DENTRO DE VOCÊ.

A Diretoria do SISMMAR, através desta mensagem, homenageia a cada um e cada uma que OUSOU não se entregar diante de tantos obstáculos e ma fé que ocorreram em 2011. JUNTOS SOMOS FORTES!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*