Assembleia delibera por greve na construção pesada ; obras da linha férrea podem parar

Em assembleia realizada no início da manhã desta sexta-feira (1º), trabalhadores da construção pesada deliberaram pela greve, que deve parar as obras do rebaixamento da linha férrea de Maringá a partir da próxima e segunda-feira.

A opção pela paralisação é decorrente da falta de valorização dos patrões para com os trabalhadores do segmento. O Sintrapav Paraná, sindicato que representa a categoria, reuniu-se por cinco vezes com os patrões, que se negaram a dar um aumento salarial justo para os trabalhadores. 

Dirigentes do SISMMAR prestaram apoio aos colegas CUTistas
do Sintrapav. Assembleia desta sexta-feira aconteceu no
canteiro de obras, próximo à Avenida 19 de Dezembro

A greve foi a solução encontrada diante da falta de valorização. Os trabalhadores reivindicam:

– reajuste salarial de 10,5% na folha em geral e 14,3% nos pisos da categoria;
– abono de 26% de um salário;
– vale refeição de R$ 11 (18,28% de reajuste)
– hora extra com adicional de 70% nos dias normais, 100% aos sábados e 130% aos domingos;
– paticipação nos lucros equivalente a um salário integral;
– seguro de vida (apólice de R$ 25 mil);
– manutenção das conquistas já previstas na convenção coletiva da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*