Progressão do Magistério: SISMMAR desmente administração Barros

A administração Barros tem dito aos servidores que a escolha dos critérios para a progressão do Magistério ocorreu de comum acordo com o sindicato. ESSA INFORMAÇÃO É INVERÍDICA!

O SISMMAR esclarece que em momento algum foi procurado/consultado sobre os métodos de avaliação definidos por meio de decreto de Executivo. Um decreto feito a revelia dos servidores(as) e que, se mantido, acarretará em perdas de direitos já conquistados.

O sindicato não concorda com os critérios definidos pela Seduc e previstos no decreto. Eis abaixo alguns exemplos de como esse decreto pode prejudicar os servidores(as):

– se o servidor(a) tiver um único dia de falta (sem justificativa), em dois anos, não será avaliado. E sem essa avaliação não terá como avançar na carreira;

– mesmo que não tenha nenhuma falta, um bom servidor, de ótima conduta, só poderá avançar mais de 1 nível na progressão caso tenha mais de 20 horas/aulas de cursos e participação em conselhos (e não há espaço para todos nos conselhos municipais).

Caso a adminsitração não acate (em um novo decreto) as propostas que serão apresentadas pelo sindicato, os servidores(as) serão chamados para assembleia geral que definirá as medidas a serem tomadas. O SISMMAR não vai admitir a perda de direitos e, diante disso, nem uma greve do Magistério pode ser descartada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*