Projeto que aumenta jornada de trabalho gera protesto de celetistas na Câmara

Profissionais da Saúde e da Sasc ocuparam na terça-feira (3), durante a sessão ordinária, o plenário da Câmara Municipal. Com apoio do SISMMAR, fizeram protesto contra um projeto de lei que eleva a jornada de trabalho dos celetistas de 30 horas semanais para 40h. Esse projeto, se aprovado, prejudicará vários fonoaudiólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos e nutricionistas da prefeitura – pois só os servidores(as) estatutários seguiriam com as 30h.

Trata-se de mais uma afronta e falta de reconhecimento da administração Barros para com os servidores do município. Diante da pressão de um grupo de celetistas – e o “barulho” chamou a atenção da imprensa –, os vereadores retiraram o projeto da pauta de votações por cinco sessões ordinárias.

A galeria da Câmara tomada por celetistas e, depois da notícia do
adiamento na votação, com cadeiras vazias. (foto O Diário)

Alguns vereadores, inclusive da base de apoio ao prefeito, consideraram o projeto “uma sacanagem”, já que o texto da lei não deixa claro que os celetistas serão prejudicados. Não fosse a união dos servidores(as) e o protesto feito no plenário, alguns vereadores teriam votado a proposta sem entender que ali havia uma pegadinha.

A lei que eles [governo municipal] querem revogar, agora garante a igualdade entre os celetistas e os estatutários“, explicou a vice-presidente do SISMMAR, Solange Marega, em entrevista ao jornal O Diário.

O SISMMAR fará reuniões com os celetistas e também com a administração antes que o projeto volte à pauta de votações do Legislativo. O sindicato trabalhará para que os celetistas não sejam desvalorizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*