Fiscais da prefeitura denunciam chefias por constrangimento

O SISMMAR destacou, na última edição de seu jornal, que o uso da máquina pública ou de um posto de chefia na mesma, em favor de um candidato ou outro, é crime eleitoral. Mas, pelo visto, há pessoas na administração municipal que estão muito pouco preocupadas com isso. E quem souber de casos assim, deve trazer a denúncia ao sindicato.

O SISMMAR tem recebido também inúmeras denúncias de abusos contra os servidores(as). Numa dessas situações, fiscais da prefeitura procuraram o sindicato para informar que, em 31 de julho, foi realizado no auditório Hélio Moreira (Paço Municipal), às 8h30, uma conversa com todos os profissionais do setor.

Naquela reunião, a reclamação dos fiscais é a de que eles foram claramente intimidados pela chefia. Foi dito que “este assunto está encerrado e não vamos tolerar conversas”. Foi um constrangedor “cala boca”, em tom de ameaça.

Com apoio do SISMMAR, os fiscais reivindicam a equiparação salarial entre os servidores que ocupam o mesmo cargo. Em algumas secretarias eles recebem 50% de GAE e em outras, FG – o que resulta em remunerações diferenciadas. Eles reivindicam ainda o pagamento de produtividade, comum para os cargos em diversas cidades do Brasil.

Problemas como esse, vale ressaltar, poderiam ter sido resolvido com a revisão do PCCR. E, como pode ser visto no contador aqui do blog, já se passaram 537 dias desde que o prefeito prometeu enviar o plano de carreira para aprovação na Câmara… e não cumpriu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*