Indignação na Saúde

Nos últimos meses, este blog vem relatando várias situações ocorridas nos setores públicos e que deixam os servidores municipais indignados. Na semana passada, por exemplo, vários servidores do Hospital Municipal procuraram o sindicato, revoltados, para informar que o prefeito, juntamente com o secretário de Saúde, fizeram reunião com servidores durante o horário de trabalho para dizer que vão implantar a jornada de trabalho de 30 horas semanais.

Para os servidores daquele local, maior foi a revolta quando, ao ser questionado quanto à demora para atender a essa reivindicação, prefeito e secretário disseram que ainda não haviam sido informados sobre essa demanda.

Os servidores afirmaram que já participaram de várias campanhas dessa pauta, organizadas pelo sindicato. Só para recordar algumas delas: atividade das camisetas das 30 horas da saúde; elaboração de cartazes; manifestações em desfile; diretriz defendida pelo SISMMAR e aprovada em conferências; entre outras. Até protestos na Câmara Municipal, bem-sucedidas, foram organizadas pelo sindicato.

Leis mais aqui no blog sobre a jornada de 30h da Saúde.

Ficam, então, os seguintes questionamentos: se as chefias que afirmam defender as 30 horas da Saúde, por que nunca fizeram nada de concreto a respeito? E o secretário, se valoriza mesmo os trabalhadores da saúde, por que não propôs a jornada reduzida ao longo desses oito anos? Por que só agora, em período eleitoral, eles surgem dizendo que defendem algo que tiveram tempo para fazer e não fizeram?

E mais: se a administração Barros está tão preocupada com os servidores, por que a escala horária de outubro ainda não prevê a jornada de 30 horas para a saúde? Como alguns servidores bem ressaltaram, esse tipo de reunião, em horário de trabalho, pode ser enquadrado como crime eleitoral.

O SISMMAR, como sempre, colocou-se à disposição dos servidores para dar respaldo aos mesmos caso queiram efetivar a denúncia junto à Justiça Eleitoral. O sindicato entende que não basta indignação, tem de haver ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*