Abusos por parte da Guarda?

Na sessão ordinária desta terça-feira (11), que foi marcada pela retirada do orçamento da pauta do dia, um outro assunto chamou a atenção: a forma truculenta encontrada pela administração Barros para tratar os servidores(as) municipais. Desta vez, a Guarda Municipal foi usada para esse propósito.

Sessão ordinária da Câmara nesta terça-feira (11): gardas
municipais demais para público de menos no plenário

Numa sessão com poucas pessoas – a maioria servidores(as), presentes no plenário para cobrar a aprovação da emenda do PCCR –, a administração encaminhou à Câmara grande efetivo de guardas
municipais. Intimidação? Bem provável! 

Não havia a necessidade da presença de grande número de guardas, como ocorreu no dia anterior, na audiência pública. Os guardas poderiam estar, muito bem, prestando outros serviços à comunidade.

Na entrada da Câmara, servidoras que foram ao plenário acompanhar a sessão tiveram suas bolsas revistadas pela equipe coordenada pelo chefe da Guarda, Rogério Melo. Fica a pergunta: precisava tudo isso? E mais: para que serve uma porta com detector de metais? Nas agências bancárias, que possuem esse equipamento, os clientes não são revistados na entrada. Fato lamentável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*