Sem PCCR e com salários achatados, servidores de carreira vão se mobilizar contra 515 CCs de Pupin

Entre as pautas de reivindicações aprovadas na assembleia geral, uma delas (a luta contra o excesso de CCs) revela a grande insatisfação dos trabalhadores com o achatamento salarial e o desprestígio da atual administração com os servidores de carreira. Atualmente, só cargo comissionado (CC) parece ter importância.

Por conta disso, a mesma assembleia que pediu 12% de reajuste salarial, decidiu lutar contra a nomeação dos 515 CCs do governo Pupin. Esse inchaço, no entendimento dos trabalhadores, é abusivo. De acordo com levantamento do vereador Humberto Henrique, se todos esses comissionados forem nomeados, ao final de 2013 a prefeitura terá um gasto adicional na ordem de R$ 15,5 milhões.

Um desrespeito ao dinheiro do contribuinte e ao servidor de carreira, que segue sem o plano de carreira prometido pelo ex-prefeito Silvio Barros ao longo de oito anos e prometido também por Pupin na última campanha eleitoral. Os servidores(as), agora, vão se mobilizar contra o contratação excessiva de CCs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*