Agentes da dengue querem ponto de referência e melhores salários

Um dia antes da assembleia com engenheiros e arquitetos, o SISMMAR realizou assembleia com os agentes comunitários de endemias (ACE) da Prefeitura. O encontro da segunda-feira (29) veio a ser a primeira assembleia específica com os chamados agentes da dengue.

Os ACE apresentaram várias dificuldades que têm no exercício de suas funções, entre os quais está a falta de um ponto de referência. A Prefeitura não possui um local específico para abrigar os agentes da dengue e isso acaba gerando uma série de problemas.

Alguns exemplos. Sem essa referência, os trabalhadores(as) tecnicamente não têm para aonde ir no momento de chuva forte. E mais, o sindicato acaba não sabendo onde encontrar esses servidores(as), que estão sempre na rua, quando precisa levar alguma informação de interesse da categoria.

Outro problema. Sem um ponto de referência, esses servidores(as), que em sua maioria não têm computador em casa, ficam sem ter como conferir a o holerite – que não é mais impresso, porém, fica à disposição no Portal do Servidor. Por isso, na assembleia, a categoria pede que o holerite volte a ser impresso, como ocorreu no caso dos servidores da Semusp.

A categoria também cobra um piso para os ACEs e melhores salários. O SISMMAR levará as reivindicações desses servidores(as) à administração municipal.
.
x

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*