1º de Maio: falta um palanque para discutir o Brasil

A dificuldade conservadora de chegar ao eleitor popular é um dado real que explica a composição postiça de alguns palanques desse 1º de Maio. Bem cotados entre as elites e os endinheirados, com robusta veiculação na mídia e forte ancoragem no judiciário, os presidenciáveis do campo conservador ainda assim rastejam.

Falta-lhes o essencial: identidade popular.

Ressentem-se de um percurso histórico que os conduza ao coração do povo com a naturalidade com que Lula o frequenta e compartilha com seus parceiros. Sem esse passaporte, as urnas ameaçam frustrar novamente seus planos de poder em 2014.

Continue lendo na Carta Maior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*