Capa : : CENTRAL SINDICAL : : Insistência na Reforma da Previdência pode resultar em greve dia 19 de fevereiro

Insistência na Reforma da Previdência pode resultar em greve dia 19 de fevereiro

Insistência na Reforma da Previdência pode resultar em greve geral dia 19 de fevereiro

Com informações da CUT

Trabalhadores(as) de todo o País começam a se mobilizar para a maior greve da história deste País caso a Câmara dos Deputados insista na votação da Reforma da Previdência proposta pelo governo Temer. A data pré-agendada para a paralisação nacional é 19 de fevereiro.

O alerta foi feito pelo presidente da CUT, Vagner Freitas, durante o ato de lançamento da pré-candidatura de Lula à Presidência da República, um dia depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) confirmou a condenação do ex-presidente no caso do tríplex do Guarujá (SP). O ato aconteceu na sede da CUT e teve a presença mais de 500 pessoas, entre lideranças políticas e dos movimentos sindical e sociais.

“Vamos fazer greve nos bancos de vocês, vamos fazer greve nas empresas de vocês, vamos fazer greve no agronegócio. O desempenho das empresas vai cair ainda mais, porque vocês arrebentaram as relações de trabalho e ganharam ainda mais insegurança jurídica. E a greve do dia 19 será ainda maior do que a de 28 de abril, quando 45 milhões de trabalhadores cruzaram os braços”, disse Freitas.

O SISMMAR apoiou as mobilizações anteriores e continuará apoiando ações de luta contra a perda dos direitos dos trabalhadores(as). A Reforma da Previdência representaria um grande retrocesso à classe trabalhadora, mantendo regalias dos mais abonados e fazendo os menos desfavorecidos trabalharem até morrer. Não à reforma de Temer. Juntos somos fortes!

 

 

Compartilhar Publicação

Deixe uma resposta