Capa : : NOTÍCIAS : : Eleições de diretoras: SISMMAR critica emendas e pede que Ulisses não sancione lei

Eleições de diretoras: SISMMAR critica emendas e pede que Ulisses não sancione lei

Dirigentes do SISMMAR estiveram na Câmara Municipal nesta terça-feira (10), às 18h, para acompanhar a sessão extraordinária em que foi votado, em segunda discussão, o projeto de lei da institui eleições diretas para diretoras(es) das escolas e CMEIs da rede municipal. Havia a expectativa, ainda que pequena, que os vereadores pudessem rever as emendas apresentadas para não desconfigurar o projeto original.

Contudo, uma série de novas emendas foram apresentadas na segunda discussão, desconfigurando completamente um projeto que foi amplamente debatido por profissionais da educação em uma comissão formada especificamente para essa finalidade e em duas audiências públicas.

As dirigentes Célia, Iraídes e Regina, no plantão no gabinete para falar com o prefeito Ulisses

 

Na extraordinária, o presidente da Câmara, Mário Hossokawa (PP), não aceitou bem o posicionamento democrático do SISMMAR – que fez o seu papel, enquanto representante dos cerca de 7 mil servidores(as) da Educação –, desferindo críticas à presidenta da entidade, Iraídes Baptistoni. A postura de Hossokawa, no entanto, não muda o fato de a Câmara tinha, sim, agendado uma extraordinária para o início da tarde de ontem (10), o que inviabilizaria a participação dos servidores(as) na votação. Por isso, o SISMMAR pediu a mudança de horário.

Para que tantas emendas a toque de caixa? Quais foram os critérios técnicos adotados? O sindicato ficará atento, porque se essas emendas gerarem problemas nas eleições e, futuramente, na gestão das escolas, a entidade saberá de quem cobrar.

“Essa desconfiguração é inteira culpa dos vereadores que apresentaram as emendas, porque o prefeito Ulisses mandou para a Câmara o projeto original, que foi feito pela comissão e por duas audiências públicas”, explica Iraídes. “Os vereadores poderiam ter participado da comissão para acompanhar os debates, apresentar propostas e estudar o tema, mas só o vereador Mariucci participou”, lamenta a líder sindical.

Como último recurso, entendendo que essa desconfiguração não trará ganhos para as eleições de diretoras(as), o SISMMAR faz plantão no gabinete do prefeito, na manhã desta quarta-feira (11), para pedir a Ulisses que não sancione a proposta desconfigurada. A notícia é de que Ulisses sancionaria a lei na sessão extraordinária de logo mais, às 18h, quando os vereadores votarão o projeto em terceira discussão – apenas para aprovar a redação final.

Compartilhar Publicação